Masoquismo...

Sempre temos problemas, porque a vida perfeita e sem problemas é um saco. Então posso dizer que uma vida sem problemas, mas também sem novidades é, necessariamente, pior que um porre de vinho doce? Acho que sim. Minha teoria é que: por mais que se diga detestar uma situação, você, na verdade, a ama e não viveria sem ela (isso saiu meio hipócrita, ?). Sei que minha afirmação serve perfeitamente para o masoquismo e que não tem nada haver com o dia a dia, porém parem para conjecturar comigo só mais uma vez: O que seria de você sem seu patrão chato? Sem seus amores errantes? Sem a topada na pedra? O que seria do seu blog (isso se você tem um) sem a coisas que te acontecem de ruim? É, porque ninguém escreve só sobre alegrias, já que a alegria não precisa ser dita, não precisa de meio intermediário. A tristeza prefere ser escrita, como uma doença que deve ser documentada na esperança de poder ajudar outros a não sofrer do mesmo mal que você sofreu. Não vejo muita graça em dizer que eu quase tenho orgasmos quando vejo um sebo (livraria) perto do lugar aonde eu trabalho, ou dizer que eu encontrei uma banda nova que me ajuda a viver e aturar meu dia a dia com suas músicas mais que legais. Agente até escreve sobre essas coisas, só que uma vez ou outra, e se escreve sempre elas, o post tem que conter um porém para que possa estar em equilíbrio com essa relação de dor e felicidade...

Nunca tive um diário (não sei porque), mas tenho um blog (dois na verdade) e acho que isso já conta como uma espécie de diário. Admito que depois que criei o Super Nada, comecei a me identificar com aquelas garotas que só ficam escrevendo suas desventuras em um caderninho cheio de floreios. Podem me julgar (porque eu sei que todos julgamos sempre, mesmo que isso seja errado), mas hoje eu vejo que se eu paro para contar algo bom e legal, fico meio perdido. Mas se rola um assunto polémico, de apelo emocional, de cunho racional, eu dou a prefêrencia.

No inicio do post eu generalizei um pouco a coisa, e afirmei que tudo mundo curte sofrer, e não vou mudar agora o que disse, só vou delimitar um pouco: "Todo mundo curte um masoquismo, só que cada um aguenta o quanto pode!"

OBS: Senhoras devassas e senhores derrotados o Contos, café, poesia volta a viver. O nome do post é Basta um tiro..., espero que as crianças gostem, e sei que saiu uma coisa meio Nelson Rodrigues, mas acho valido dar uma lidinha, nem que só para me agradar...

OBS: Fazer um pouco de propagando não faz mal a ninguém. Um jovem (uma tal que foi muito importante para mim) criou um blog, então gostaria de que vocês dessem uma pequena lida lá sempre que puderem. O blog é o Desfechos e Fechaduras...

11 Comentários:

Nai disse...

hehê, eu sou A pessoa que por mais que odeia uma coisa, não vive sem ela. um exemplo: meu pai. ô velho chato pra me dar bronca, me falar que eu sou isso e aquilo, me da um odio danado hauahah, mas eu dei mais importancia a ele depois que ele foi parar na uti '-' mas enfim, esse exemplo é brincadeira, eu não odeio meu pai, só as vezes :~

Jaque disse...

Sim, no fundo as pessoas curtem um sofrimentozinho... De leve, sabe? Os probemas tbm nos fazem crescer, pelo menos, é isso que deveria acontecer.

Ah, sobre a recomendação pra tentar remédio tarja preta... Se vc me garantir que resolve, eu posso tentar. hahaha
Tá aí, quem escreve, geralmente, tende a dramatizar ainda mais certa situação. Gostaria de ter sido compreendida entre minhas idéias não muito bem organizadas.

Bom final de semana.

Jaque disse...

Senhor! *probleeemas! Porque "probemas" me faz lembrar uma pessoa insuportável que aterroriza meus dias de quarta.

Grahan disse...

Assim. O que seriam das novelas, filmes e livros sem um conflito? O que seria da nossa vida sem alguma pedra? Dá mais graça à vida, nos motiva a buscar mais e a lutar mais.
Ficou meio auto-ajuda isso aqui, mas é bem assim mesmo.

Mary West disse...

Ahhh é o famoso drama, as vezes gostamos de sofrer p/ poder descobrir que tem gente q tá sofrendo e muito mais.

OS: Vou visitar sim! ;)

TOOP disse...

Sempre pensei q alegria não era muito produtivo, pelo menos para mim. E problemas sempre dão belos textos, com vários "P.S" no final.

Cara, Diário é um saco... vc escreve, esconde, escreve, rasga...

Leo disse...

As situações ruins sempre dão assunto no blog, isso é verdade. [Pelo menos no meu elas dão muito mais assunto que as situações boas...]

Mas eu queria ter uma vida perfeita e sem problemas nem que fosse por um dia só... Só pra conferir se sua teoria tá certa... xD

OBS: Eu não escrevo pro Estive nos 90 não... Até já entrei no blog, mas não posto nada lá... ^^

ღ mey ♥¨`*•.¸¸.•*´¨♥ღ disse...

como sempre que possível, passando correndinho para que você perceba que não esqueço de vir aqui, mas em casa q poderia comentar os posts com calma, o blogger não colabora ¬¬

bjaum!

Anônimo disse...

É aquela coisa, lágrimas, sofrimento, geram mais palavras, parace que elas precisam ser escritas para terem o seu "lugar", assim como a felicidade, o sorriso...

tudo é uma questã de visão, cada um carrega os seus "problemas" da maneira que achar melhor...

P.S:
Já que você não conhecia muito bem o Quinatan, fico feliz em saber que se interessou, ele vale muito a pena..
beijos

Flávia Batista disse...

eu costumo dizer q sem sofrimento não tem amadurecimento, portanto sofrer faz parte do nosso crescimento, e eu acho mto imporatante sofrer, embora doloroso....

♥M@cellY♥ disse...

Ai ai... concordo plemanete que diz que vida sem problema é um saco... minha vida ta numa calmaria só... sem emoção nehhuma... triste isso
rsrs

bjooo