Sobre o espelho, socos, pontapés e minha barba...

Sobre o espelho, socos, pontapés e minha barba...

A relação entre os seres humanos e o espelho já é velha, porém mesmo assim, algumas coisas em relação a esse amigo da vaidade [eu citando os pecados mais uma vez], ainda nos deixa bastante intrigados. Um grande exemplo dessa relação estúpida são os socos e pontapés que a imagem refletida nos da de vez em quando. É um alegação estranha, eu sei [ e que alegação minha não é?!], mas é só deixar eu explicar. Os socos e pontapés pés aos quais eu me refiro, são na verdade as coisas das quais não tínhamos ciência e só passamos a ter depois que temos uma conversa com o espelho. As vezes a conversa nem é muito longa, basta que olhemos para o maldito [o espelho] por uma pequena fração de segundo. Já é tempo o suficiente para vermos cabelos brancos, rugas que não estavam ali, um sinal que pode se tornar um tumor etc. Parece que o espelho tem orgasmos quando nos vê contemplando o que somos e lembrando o que éramos, se torna quase uma relação de sadismo.
Algumas pessoas podem afirmar que não passam por esses problemas e que são desprovidas de qualquer vaidade, mas eu não acredito, porque a vaidade nem sempre está em se olhar no espelho e ver uma pessoa bonita [eu me olho a 18 anos e vejo um orc]. A vaidade pode estar em se olhar no espelho e ver o grande empresário que somos. A vaidade reside no orgulho, e cada vez mais que temos orgulho de nós mesmo, ficamos defronte ao espelho e esperamos ver aquela imagem que nossa imaginação criou. Poucas pessoas olham no espelho e vêem aquilo que querem.
Somos mortais, e com carência de demostrar isso. Sabemos que nossa alma e coração é de fácil venda, logo a cada hora tentamos leiloa-la para quem dá menos e nos leva mais. O espelho é o melhor comprador, já que nunca paga aquilo que promete e sempre leva mais do que devia.
Não, eu não tenho uma solução. Porque? Porque não existe solução. No dia 15 de Março me olhei no espelho e vi que minha barba estava crescendo mais do que o normal, não me senti mal, até posso dizer que gostei. Conclui que era hora de tomar uma decisão, porque ela não vai crescer mais devagar, então fiz a minha parte: deixei o bigode e o cavanhaque. Porque essa deveria ser minha decisão? Porque se eu decidisse cortar tudo e deixar a pele lisa, ela [a barba] iria crescer de novo e ficaríamos nessa guerra até eu me dar por vencido, já que nesses casos a barba sempre vence. Depois desse soco do espelho, me sinto mais leve, já que durante um bom tempo eu deixei o meio cavanhaque [aquele que só fica no maxilar] e sempre tive o maior orgulho de ter sido o primeiro dos colegas a ter barba, e isso tudo, mesmo agora que estou trabalhando e deveria estar sempre com a barba bem feita.
O que vai acontecer com o bigode e o cavanhaque [to parecendo com um aristocrata inglês] no futuro, eu não sei, e talvez nem queira saber. Posso ser chamado a atenção no trabalho por estar cultivando-os, mas mesmo assim não irei tira-los. Agora me sinto mais eu e menos os outros. Me olho no espelho e ele me diz que sou muito diferente [porque não basta ser diferente], acabo ficando feliz e tendo minha vaidade alimentada. No final, o soco me fez olhar mais para o espelho e menos para min.

8 Comentários:

Ana Laura disse...

Verdade absoluta! E se ler mesmo meus "antigos devaneios", verá que também sou vítima do tal pseudo-narcisismo e concordo em gênero, número e grau.

Muita honra em estar na sua página, você também estará na minha!


Outros.

Ana Laura disse...

Obrigada. Feliz páscoa pra você!Coma muito chocolate e divirta-se, porque chocolate também tem cafeína, que estimula o sistema nervoso, dá muito ânimo, enfim, já parei! rs


Beijo.

Jaque disse...

Não gosto de me olhar no espelho. Gostei do texto [mesmo]e torço pelo crescimento de sua barba, que não inspirada no Papai Noel.

Beijo.

♥M@cellY♥ disse...

Caí aqui de paraquedas... posso?
Bem, ja estou aqui mesmo... rss
Espelhos? Ai, nem fale... ele sempre mostra a verdade que agente tenta esquecer...
Bom... um sorrizinho ajuda parecer simpático...é o que dizem...rss
Asdorei seu jeito descontraído de escrever. Gostei mesmo.
Volto pra ler-te!
Bjinhus

Leo disse...

Nussa, meu último post foi quase um clone do seu... Criatividade zero por aqui. Nem tinha percebido! Ler seu blog tá me inspirando!
E eu tô gostando pra caramba! Seus textos são leves e descontraídos... Ótimos!
E agora vou me policiar mais pra não fazer mais "posts clone"... ^^

Mary West disse...

Engraçado quando o espelho colabora nos momentos mais inusitados. Tipow q as vezes ao natural eu aparento estar mais deslumbrante do que maquiada e isso naum tá certo depois de tanto esforço e dinheiro jogado em estojos de tinta. Uma luta eterna realmente.

PS: Ai aristocrata inglês? Puxa eu tenho uma queda violenta por pelos masculinos faciais, tipow q diferencia os sexos e é extremamente charmoso. ;*

Juliano disse...

Concordo com tudo o que você disse. Às vezes querer mudar algo depois de uma olhada no espelho é até meio que instintivo, faz parte do Ser humano.
E não acho que você se pareceu com um aristocrata inglês... tava mais pra escritor de livro de auto-ajuda...

ღ mey ♥¨`*•.¸¸.•*´¨♥ღ disse...

oii, tempinho q naum volto aki heim, to taum ocupadinha q mal da tempo de postar :/
mas naum esuqeci e vc naum
beijo =*