Sobre os amores que tive (ou não)...

Ultimamente eu tenho olhado muito para o passado à procura de algo que eu tenha esquecido. Ainda não sei bem o que esqueci, mas toda vez que olho para trás e me lembro de coisa que fiz ou deixei de fazer, lembro de ideais aos quais eu levantava bandeiras, lembro de pessoas que conheci e hoje não tenho qualquer tipo de contato,, enfim lembro me de uma infinidade de ... [a reticências está sendo usada com a idéia de que são tantos coisas e tão variados tipos, que eu nem sei definir bem], sei que estou lembrando de algo importante, pois se meu cérebro se deu ao trabalho de guarda-las é porque são importantes de alguma forma [assim, pelos menos, eu espero que o cérebro funcione]. Essa semana um grupo de lembranças ficou fixo em minha mente, eram as lembranças das meninas, garotas e mulheres com quem eu já tinha tido algum tipo de relação [notem que eu uso a palavra relação com sentido eufêmico, sendo que o que queria dizer era: relação = beijei, namorei, transei, amassei, encouchei, comi, passei o pinto, e por ai vai]. Sei porque essas lembranças retornaram a minha fonte de pensamentos, na verdade é até simples demais, explico: tenho me sentido muito só ultimamente, nem o meu ego [do tamanho de uma baleia cachalote] tem me sustentado no sentido de companhia, e, para piorar as coisas, tenho visto pelas ruas que nessa primavera as flores tem chamado mais abelhas para perto de si, me parece que todos tem alguém para quem possam voltar, menos eu é claro.
Mas, voltando aos amores que tive [ou não tive]. Fiz uma pequena lista [mental] com os nomes ou descrições básicas das minha companheiras [visto que muitas delas eu nem lembrava o nome, então relacionei pela característica mais forte, como: loirinha, peituda, chata, maluca, gostosona]. Avaliando a lista cheguei aos números [estimativas]: meninas [12 à 14 anos] 5, garotas [15 à 18] 21,5 [o 0,5 corresponde a uma jovem de quem não me lembro, mas só me deu um beijo e deixou a promessa de voltar] e mulheres [18 à 28] 4. Sei que não são números de impressionar, tanto que menos da metade eu conheci mais profundamente [sexo]. Também sei que jovens da minha idade são exímios exemplos de reprodutores, porém sei que o faço é com total segurança de quem sabe que não vai errar [meio convencido admitido]. Como posso ter certeza de que agradei tanto assim? Simples, não tenho certeza, me baseio na idéia de que poucas [acho que só 2] reclamaram de ter se relacionado comigo, mas não diretamente [dãã!!!], eu tinha minhas informantes que sempre me repassavam as informações certas, os elogios e as criticas [ Deus sabe como amo ter amigas].
Bom... as perguntas devem girar entorno de algo como: “Ele ta só querendo se gabar?”. E eu humildemente respondo: Talvez sim, já que ultimamente tenho andado mais para baixo que verme de barriga de cobra, então não existe remédio melhor para esse mal do que se gabar de meu passado libertino, posso até começar uma frase com “Na minha época...”, porém não o farei.
Às senhoras castas e pudicas que lerem meu post sexualmente revelador [nem tanto assim, porque ele foi editado e revisado umas 20 vezes afim de evitar conflitos com palavras de baixo calão e declarações mais baixas ainda], só posso dizer que aqui, no post, está uma parte importante [mas nem por isso falsa] de minha vida e não acho que seja falte de educação contar minha vida para aqueles que desejam ler.

8 Comentários:

Mary West disse...

"encouchei"

Hahahahahaah!!

Mas enfim, acho válido vc guardar suas lembranças assim com afinco, é sinal q mesmo as mais descartaveis fizeram a sua parte, colaboraram pelo menos para aumentar a lista. E bom saber q vc diferencia tb, p/ mim nem todo beijo é ficar. ;)

♥M@cellY♥ disse...

Menino( com todo o respeito, não relacionando a palavra a idade, claro) vc é uma graça!!!
Deixa eu te contar um segredinho de menina... mesmo que não tenha durado, mesmo que não tenha sido nada bom agente adora ser lembrada...hauahua. E isso é exatamente pela idéia de que por alguns dis, minutos seja lá o que for fizemos parte de vc... senão, pq lembraria? ;P
doideira né? rss

Ah claro.... se isso te conforma, você não é o único que anda se sentindo só... sabe-se lá pq, se é coisa mística, se astrologia lunar, solar, chinesa ou outra qualquer... e o melhor de tudo´é que a nostalgia sempre passa, no máximo fica guardada para momentos menos agradaveis. Agora, se a sessão nostalgia de algua forma lhe agrada comemore... você a vivenciou de verdade!

Bjooo grande!

Thiago Borges disse...

Cara, meus números não são tão diferentes dos seus, é só acrescentar mais 07 anos de “experiência pegativa” (já que sou mais velho que você). Mas não são os números que importam aqui.

Só queria te dizer que é normal ficar meio pra baixo. Agente vai ficando mais velho e por mais que os nervos estejam em furiosa explosão, chega aquela necessidade de ter alguém realmente especial do lado. As vezes agente não encontra esse alguém assim “de cara” e isso pode se tornar SIM um grande problema. Agente acaba achando que se voltarmos a grande faze do “garanhão pegador” o problema termina (na hora ate que da essa ilusão, mas depois aquela necessidade volta mais uma vez, é foda, eu já passei por isso).

É claro que é bom sair pegando “muié” por aí (nossa como é bom), mas te juro que estou muito melhor com a pessoa certa do meu lado.

Espero que tenha ajudado, abraço.

Ana Laura disse...

É. Tá tudo certo... Você só se embra do que foi importante mesmo...
Mas não se preocupe, tenho certeza de que não ficará ímpar para sempre!


Ah, e quanto ao seu comentário, sou ruim não, credo...

Herunâr DD disse...

Post ótimo, embora seja unicamente para conhecer suas experiências sexuais. Mas pra mim foi bom e não entenda mal essa declaração. Eu digo que foi bom pois vi que não sou o único me sentindo só e embora meus números sejam beeem menores (até mesmo em relação ao número de patadas recebidas) eu guardo boas lembranças também.

E isso aí! Sorte pra nós!

Cabal disse...

Pois é Breno, se vc for ler minhas poesias, verá que são todas byronianas, pois sofri muito com a falta de alguém, porém antes só do que mau acompanhado, as vezes queremos tanto alguém legal do nosso lado que nem sempre escolhemos a pessoa certa, fica na tua, segue a vida que um dia ela aparece, ela está por aí, esperando vc também, "pode ser que eu a encontre, numa fila de cinema, numa esquina, ou numa mesa de bar..." vá até o fim!!!!

Jaque disse...

Cara, vou te dizer... É um número considerável, levando em consideração que vc é jovem... Tem gente que não pegou nem vento, nem gripe. Vc tem o que recordar, isso é legal.

Leo disse...

Eu tô na turma dos pegadores de gripe! o/
aeuaheuaheuaheuaheuahea

Brincadeiras a parte, gostei muito do post. O jeito divertido que você conta suas "experiências sexuais", digamos assim, ficou muito bom.

Alguns dizem que recordar é reviver. Se você tá se sentindo um pouco sozinho, nada melhor que recordar. ^^