Cineminha com os amigos!

Nem sempre determinação é uma coisa levada a sério quando o assunto em questão é ver filmes com os amigos. Bom exemplo dessa minha alegação foi o fato que aconteceu ontem, quando finalmente saí de casa e fui para um cinema. Posso começar pelo começo (meso sendo redundante): Primeiro fato curioso é que eu chamei duas pessoas para ir comigo e quando vi já estávamos num grupo de oito pessoas, mas a quantidade de gente não é um problema para mim, só tenho que aumentar o humor vazio, a interpretação de que gosto de todos e que estou feliz por estarmos ali discutindo sobre qual filme ver, quando eu mesmo já tinha um na cabeça.


Perguntinha: Porque as pessoas sempre se acham no direito de escolher ou te obrigar a alguma coisa dizendo que não vão fazer parte do que você escolher? Esse o truque mais velho na amizade, porque você fica refém de um grupo maior ou de alguém por quem você tem muita consideração, mesmo que atos como esse provem que a referida pessoa não merece nem um tiquinho de sua consideração.


Mas o dia é de alegria, afinal você não vê seus amigos a quase um ano, tem estado muito ocupado trabalhando, ou lendo, ou escrevendo, ou pesquisando quem nasceu primeiro (ovo ou galinha, e sim o ovo). Você contem seu dragão interior, pede para todos os Deuses forças para aturar gente querendo ver High School Musical 3D (vejam bem, eu disse 3D), não que eu tenha preconceito, e se lembra mais uma vez que eles são seus amigos e perto dos mesmo você finge ser uma pessoa super alegre que faz piada com tudo e tem um nível intelectual de uma lesma paralitica. Você tem que se calar ou entrar na guerra, porque foi você quem criou aquela situação, antes tivesse ido ao cinema no centro da cidade, pedia mais uma hora de almoço, que por acaso você nunca tira, e via o filme na maior paz do mundo.


Passado o período de gládio, machado e rede, o filme escolhido foi Max Payne, mas seu coração não fica tranqüilo, pois você sabe que esse filme e a adaptação de um jogo muito popular nos anos de 2000 à 2002 e o destino de adaptações do tipo já meio que previsível. Engole a seco a vontade de ver 007 – Quantun Of Solace e diz para si mesmo “Tudo pela amizade”, porque mais uma vez tem se a ciência de não vai pegar ninguém durante o filme.


Todos comprando seus ingressos para o tão aclamado filme, do qual você não sabia da existência, quando de repente percebem que está faltando alguém. Um dos seus amigos estava atrasado e a melhor coisa a se fazer é ligar para ele perguntando aonde ele encontrava, pois o filme começava as 18:00 e já eram 17:55. Sorte! Seu amigo está entrando no shopping onde fica o cinema, mas no fundo você sabe que mesmo ele correndo e comprando o ingresso em 1 minuto, você vai perder a parte que mais gosta de se ver num filme: os trailers! Sim, você perdeu os trailers e a entrado do filme, mas a amizade paga tudo isso não é verdade.


Pequeno resumo do filme: Nada além de cenas muito parecidas com um jogo que você já virou 20 vezes em casa. Uma série de erros em relação a mitologia nórdica. Uma péssima legenda. Um pai com seu filho que não cala a boca. Um animal na sua frente que insiste que Ragnaröck que aparece no filme é por causa do jogo de MMORPG e não porque Ragnarök é o fim do mundo para os nórdicos. Você senta do lado de uma garota que estudo com você e já era chata naquela época. Seu amigo mais engraçado tenta te animar enfiando o dedo no seu nariz. Seu outro amigo mais hiperativo não cala a boca um segundo. O filme termina muito mal.


O terror de se ver um filme com amigos fica instalado na sua cabeça e você conclui que nada pode ficar pior, ledo engano jovem! Depois do filme, a rapaziada, a galerë, a molecada, quer ir comer alguma coisa e não existe nada mais... mais... mais... “rapaziada da academia” do que isso. Você nem se da ao trabalho de sugerir um café ou chá com biscoitos, afinal de contas não quer que ninguém ria de você tão alto assim.


Vencido, rendido e arrependido, você se encaminha para a tão famigerada PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO, onde as mamães deixam seus filhinhos soltos como bichos em um zoológico a céu aberto. Sentar na mezinha nem é uma dor muito grande assim, mas é o cheiro de gordura que fere seu estomago já tomado pela ulcera e gastrite. Todos compram seus lanches no MccomsumidorburroDonald e você fica só na batatinha de um colega seu (essa frase pegou muito mal).


Papo vai, papo vem e você tentando manter aquela aparência de quem ta adorando fazer piadas ridículas e sendo o bobo da corte, o mico de circo, o parvo saltitante (vou para com isso), mas nem sempre é possível, as vezes seu olhar cabisbaixo atrai a atenção de alguns amigos e é possível ver nos olhos deles a indagação, isso faz com que você faça mais uma piadinha, só mais uma.


Senhoras e senhores! Essa é a descrição de um ato simples, eu sei. Ir ao cinema com os amigos, talvez seja o ato mais comum na adolescência de um suburbano, porém eu definitivamente não nasci para isso. Coloquem mil livros na minha frente e lerei cada um. Coloque uma garrafa de Absolut ou Orloff e eu darei cabo delas em minutos, quisá em segundo. Mas não me mandem para a cova da convivência em grupo, pois meu coração não foi feito para esses momentos de “descontração” em grupo onde não existe nenhum alucinógeno ou etílico por perto. Não que eu ache que o ser humano seja algo deplorável, porque isso eu não acho. O ser humano é lindo de ser observado, mas apenas isso!


São em momentos como esse que eu me lembro muito claramente porque enchia a cara sempre que estava em grupo!

Mais um capítulo de Camadas lá no Contos, café, poesia. Quem estiver lendo essa budega, faz o favor de passar lá e ler o outro blog também.

6 Comentários:

Anônimo disse...

Veja o lado bom: pelo menos não foi High School Musical. Algum poder de persuação vc tem, certo?

Eu já abdiquei do cinema faz tempo. Hoje, só eu, minha tv e o controle remoto debaixo da coberta ;)

ps: aquele dia não pude voltar...desculpe. mesmo.

***

Desarranjo Sintético disse...

Bom, essas coisas que saem dos eixos me desconsertam um pouco. No meu caso´seria difícil eu convidar 2 e aparecerem 8. O mais certo serai que os dois acabassemnão podendo ir e ou eu dava uma de solteirão feliz e ia sozinho e entrav em deprê ao ver o primeiro casal meloso no cinema, ou não ia e ficava irritado com os amigos que nunca estão disponíveis para mim como eu sempre estou para eles. Se me falassem isso de "eu não participarei do seu programa" certamente não seria meu amigo ou na próxima vez eu escolheria o filme e pronto, felizmente tenho amigas/os de gostos semelhantes com os meus. E graças a todos os Deuses ninguém que eu conheça ousaria me convidar para assistir Hogh School Musical, e muito menos 3D sob o risco de nunca masi me encontrar, ahahhahah.
Relamente as adaptações de vídeo-game não são lá essas coisas! Eu olhei um que não me lembro agora e era pior que ruim. Prefiro o 007. Que vontade de dizer que espera o cara lá dentro...pior que é bem assim, isso volta e meia acontece, ainda masi comigo que tenho mania por chegar cedo...Se bem que eu nem faço questão dos trailers, fui olhar Jogos Mortais V e entrei pouco antes de começar, dando graças a Deus.
Nem me fala, eu souideologicamente contra o MCeusouumescravoamericanoegostoDonald's, fiquei anos sem comer e se era para me destruir com gorduras eu ia no Bob's, que pelo menos é Brasileiro...eheh.A pouco tempo comi-porqueme pagaram um MC, mas agora via anos até eu comer outro. Se bem que nem vou muito nesses locais, a não ser em shoppings mesmo e se tiver Habib's melhor e masi barato!
O que acontece quando eu olho filmes de terror com meus amigos/as, em casa, é que vira comédia, eu mesmo vivo tendo ataques de riso, como em Freddy X Jason, mas no cinema o pessoal se porta decentemente.
É, eu também já decidi que sou anti-social e não tem jeito, com amigos até nem parece, mas gente masi estranha ou parentes e assemelhados eu sou um nojo. Ou eles que são e não se flagram! Cada vez que preciso agir em sociedade, me sinto realmente mal. Mas pelo menos meus cinemas ainda não deram problemas!
Abração.

Mary West disse...

Hahauahauahauahau. Vc tá com um problema distante do meu. Eu simplesmente naum tenho mais companhia alguma. Vou começar a procurar nos classificados.

Anônimo disse...

caramba que tortura hein? rs bom, eu no seu lugar teria visto outro filme sozinha


beijokas e pessoas são um saco...

ღ mey ♥¨`*•.¸¸.•*´¨♥ღ disse...

tudo pelos amigos? nossa... nos tempos atuais não sei se conseguiria reagir assim... ando mt decepcionada!!!

bejones guri *:

Leo disse...

Conheço bem o drama de ser obrigado a ver um filme. Vi o "300" nessa situação. O filme era ruim, minha sorte é que acabou rápido. xD

Na próxima vez é melhor ir ao cinema sozinho. ^^

Até mais!