Sobre fotografias

Hoje quando estava vindo do serviço, voltando para casa (processo esse que leva umas duas horas dentro de um ônibus mais apertado que uma lata de sardinha), fiz uma grande descoberta sobre mim mesmo e (de certa forma) sobre as pessoas no resto do mundo. A situação foi meio esdrúxula, mas verídica, e irei descrevê-la: estava um com um pouco de sono e conseqüentemente quase caia encima do cara que estava sentado na minha frente, então motivado pelo desejo de ver quais eram as horas, peguei meu mais novo celular (LG Chocolight) e deslizei o display. Para o meu espanto já eram mais de sete e meia (a merda do ônibus estava muito atrasado), mas não foi exatamente a hora que chamou minha atenção, porque quando corri novamente o display, dessa vez para fechar o celular, notei que a imagem de exibição do meu celular é uma foto minha no serviço.

São raros os momentos que eu me acho atraente ou bonito e esse não foi um deles, porque a foto é feia assim como seu protagonista, mas ela me fez pensar e muito. Ali, naquele momento estranho de alto descoberta no próprio celular, vi que eu sou uma vítima de uma arma/máquina chamada máquina fotográfica. Não que eu seja daquelas pessoas que ficam batendo fotos de si mesmas o tempo todo e que mantém fotologs com várias fotos de perfil e afins, porém fiz força para lembrar uma só faze da minha vida que não fosse documentada pelas lentes de uma máquina fotográfica. “Esforço em vão” pensei no final, simplesmente tenho tudo documentado, desde a fase “roqueiro louco que pintava o cabelo de vermelho” até a fase sou um “adolescente que ama seus amigos”.

Eu e as fotos temos uma relação um pouco complicada, porque eu não gosto de sair nelas, mas gosto muito de telas por perto, afinal de contas são elas que fazem minha mente viajar até aquele momento que foi capitado e não tem coisa melhor do que poder voltar num lugar sem se mover, visitar apenas no pensamento junto com pessoas que talvez você nunca mais veja. Porque na verdade o que as máquinas fotográficas fazem é exatamente o que se pensava delas no inicio: capturar momentos, e não esse monte de bobagem sobre refração da luz.

Meu contato com as câmeras de celular é relativamente novo. Quando entrei no segundo grau conheci N pessoas que davam muita importância sobre qual o celular que você tinha, e... bem, podemos dizer que eu estava muito feliz com meu monocromático de conta que só fazia ligações e mais nada. Mas aprendi a gostar de tirar fotos com esse aparelhinho que cada dia mais tem novas funções.
Selecionei duas fotos que eu considero como as mais foda que eu estou e vou deixar uma descrição do momento que elas capturam...

Da esquerda para a direita: Thiago, Ana, eu, Taira e Mustafá.
Essa foto é épica, foi tirada no verão de 2006, no inicio do ano, com a máquina da Ana, que ainda era uma daquelas de filme (acho que foi por isso que a foto tem essa textura). Mas em fim... essa foto fala muito para mim, porque nela estão três pessoas que eu considero muito, além desse ar antigo que a foto carrega. Só de olhar para essa foto bate uma puta saudade da Ana e do Musta (Mustafá).






Da esquerda para a direita: Tavinho (Gustavo), Pinto (Bernardo), eu e Thaldeon (Thiago)
Sabe aquele foto que carrega um pouco de você? Pois é! Essa foto foi do dia do show do Pearl Jam. É a foto do meu momento vuduzeiro. Eu to vomitado, suado, molhado, cansado, passando mal, mas sou uma das quatro pessoas mais feliz do mundo naquele dia. Porque? Porque eu simplesmente toquei o céu ao som de Given to fly e promovi uma mini roda punk quando tocou To the evolution. Essa foto praticamente capturou todo o momento.

11 Comentários:

c 81 disse...

Acho que a primeira foto está bem legal mesmo, a segunda deve ser umm omento bem pessoal.
Eu acho interessante fotografar, documentar, as fases da vida. Lembrar (as vezes) é bom.

Liquificadorizando disse...

Na era da camêra digital, onde se vê fotos totalmente parecidas no Orkut. É bom ver fotos que simbolizam momentos e lugares - realmente- especiais.

Parabéns pelo blog

Alexandra Periard

Grahan disse...

Não por acaso eu adoro fotos. A foto realmente é algo indispensável na vida. Uma família deveria ser composta de pai, mãe, filhos, cachorro, papagaio e uma máquina fotográfica (exagero). Mas, enfim. Fotos são "mara". Mas fotos e não palhaçada. Há de se encontrar uma importância (como o registro de acontecimentos importantes) ou uma arte que daí é entra meu encanto. Adoro fotos retratano desde paisagens ao surreal. Bem, saí um pouco de tudo o que falaste, mas só pra registrar uma das minhas paixões.
E pra terminar: eu não gosto de fotos no celular! er!
Vlw!

Anônimo disse...

eu amo fotografias. sou ligadonas nelas + n curto muito sair em fotos. tbm sou um museu humano que fica olhando p as fotos e relembrando tudo que ocorreu no dia.

essas fotos são bem bacanas


ate+

Flávia Batista disse...

eu amo ver foto e tirar foto!!!

e sou extamente esse tipo de pessoa que vc fala em uma parte do texto, que fica tirando foto de si... só n tenho fotolog para exibi-las, mas que eu sou louca por uam câmera, eu sou!!

bjao

ღ mey ♥¨`*•.¸¸.•*´¨♥ღ disse...

eu tenho problemas com fotos... não saio bem em quase nenhuma!!!

é séério
não que eu seja liiinda ou coisa assim, mas a foto poderia ser melhor, aah poderia!
hahaha

bjs guri ;*

Anônimo disse...

ja deu pra perceber que as pessoas que acham que saíram bem em foto não existem né?
ou são os seletos narcisistas.

tá eu sou uma da ala dos rejeitados pelas lentes...

Sempre perdi mta foto. Engraçado vc ter postado isso hoje pq faz pouco tempo q terminei de montar um álbum la em casa com fotos de família que contam nossa historia todinha.

E tá tudo catalogado e organizado!ai só faltam falar!

detalhe: eu era um bebê lindo! pq fui crescer?

Vc deveria bater mais fotos. É melhor apagá-las do que imaginar como teriam ficado.

***

Tanmi Morais disse...

adoro fotos :D

acho que elas congelam os momentos, eternizam as lembranças...

, beeijo:*

Desarranjo Sintético disse...

Ahhh! Fotos!
Sou praticamente fanático por fotos, mas ainda não tenho-mas quero muito e quanto antes- uma câmera digital. Ainda bem que o pessoal que eu saio tem! É muito bom olhar fotos antigas-muito engraçado! E rever as novas. Surge cada momento, cada recordação. Sempre gostei de fotos. De tirar e de sair. Não que eu seja bonito, ahahha, mas dizem que eu sou fotogênico, apesar que existem fotos que minha fotogenia saiu correndo, enfim!
Pena que não pego masi o tempo de aprender a revelar no laboratório, deve ser mágico!

Abraços! Adorei as fotos!

Fábio.

Mary West disse...

Ahhh tb gosto muito espiar fotos, principalmente akelas que estão já amareladas pelo tempo. Lemra da polaroide? Era o máximo! :D

TOOP disse...

Não tenha condições de falar sobre imagem... Adoro uma foto!

Embora valorize muito mais um sorriso.

;)